quarta-feira, 16 de junho de 2010

FEIRA 2010 - Ronan Parreira interpreta Cazuza, dia 17, às 18h30, no Palavra Cantada

O violonista Ronan Parreira interpreta sucessos do cantor e compositor Cazuza, dia 17, às 18h30, na Arena Cultural. Parreira será acompahado por Marcos Paulo e terá a apresentação comentada pelo professor Ademir Aquino.

Agenor de Miranda Araújo Neto, mais conhecido como Cazuza, nasceu dia 4 de abril de 1958, no Rio de Janeiro. Cazuza tornou-se um dos ícones da música brasileira nos anos 1980, como vocalista e principal letrista da banda Barão Vermelho.


Ao lado do amigo Frejat, companheiro de Barão, compôs sucessos como Todo Amor Que Houver Nessa Vida, Pro Dia Nascer Feliz, Maior Abandonado, Bete Balanço e Bilhetinho Azul. Em carreira solo, criou Exagerado, Codinome Beija-Flor, Ideologia, Brasil, Faz Parte Do Meu Show, O Tempo Não Pára, O Nosso Amor A Gente Inventa, entre outras

Cazuza também ficou conhecido por ser rebelde, boêmio e polêmico, tendo declarado em entrevistas que era bissexual. Em 1989 declarou ser soropositivo e sucumbiu à Aids em 1990, dia 7 de julho, no Rio de Janeiro, aos 32 anos.

Em apenas nove anos de carreira, Cazuza deixou 126 canções gravadas, 78 inéditas e 34 para outros intérpretes. Após sua morte, os pais fundaram a Sociedade Viva Cazuza, com a intenção de proporcionar uma vida melhor à crianças soropositivas através de assistência à saúde, educação e lazer.


Cazuza recebeu várias homenagens. Em 1997, a cantora Cássia Eller lançou o álbum Veneno AntiMonotonia, que traz somente composições de Cazuza, que também foram reinterpretadas pelos mais diversos artistas brasileiros dos mais variados genêros musicais.

A Somlivre realizou o show Tributo a Cazuza em 1999, posteriormente lançado em CD e DVD, do qual participaram Ney Matogrosso, Barão Vermelho, Engenheiros do Hawaii, Kid Abelha, Zélia Duncan, Sandra de Sá, Arnaldo Antunes e Leoni.

Em 2000 foi exibido no Rio de Janeiro e em São Paulo o musical Casas de Cazuza, escrito e dirigido por Rodrigo Pitta, cuja história tem base nas canções do artista carioca. Em 2004 foi lançado o filme biográfico Cazuza - O Tempo Não Pára, de Sandra Werneck.

Um comentário:

  1. Adorei interpretar Cazuza espero que todos tenham gostado,porque foi um projeto diferente Voz e violão em estilo Bossa nova,MPB.
    Ronan Parreira
    email: ronan.spg@gmail.com

    ResponderExcluir